degustação JP Morgan

Antes de eu entrar em uma maratona (outra) de trabalho, tivemos uma deliciosa manhã de tea tasting promovida pelo JP Morgan para 40 secretárias executivas. Não vou entrar muito nos detalhes de chá aqui – apesar de ser um blog sobre chás – porque decidi compartilhar com as secretárias alguns dos meus favoritos dos blends de saquinho de Inés Berton, como vocês podem ver na foto.

O mais legal de toda a experiência foi ter começado a conduzir a pausa naquela manhã bem agitada, cheia de eventos, em meio a mesas sendo arrumadas e o tempo gritando comigo que teria que sair de lá correndo para uma reunião estratégica. O fato é que conseguimos: respirar juntas (incluindo Nancy, coordenadora de eventos do JP Morgan, que fez o convite para eu conduzir a degustação), viver uma experiência juntas, falar sobre chás e deixar de olhar no relógio por quase uma hora (agora que já passou eu posso contar que dei umas duas espiadas – como convém a todo palestrante).

Para “economizar” um pouco do tempo de prosa, distribuí uma tag bem didática com dicas de como preparar um bom chá.

O “estar presente” foi tão generoso que consegui sair a tempo e chegar no meu compromisso exatamente na hora em que ele ia começar. Se tivesse produzido, não seria tão preciso assim. Eu adoro quando as coisas acontecem de maneira orquestrada. São momentos realmente muito raros que se manifestam quando estamos absolutamente conectados conosco e com o ritmo do mundo. Eu não sei explicar como, mas acontece. É sinal de que a coisa deu totalmente certo!

O que me chamou muita atenção a respeito do trabalho das secretárias executivas e que conversa com a filosofia do chá é aquela força invisível que existe por trás das coisas importantes. Que não estão evidentes na aparência, mas são fundamentais na essência. Essa tal presença oculta ajuda a compor a força do conjunto. Como um bom acabamento de uma roupa: ninguém olha para o forro, mas ele está lá, seu tecido foi escolhido com cuidado, assim como sua costura, trabalhada como se estivesse do lado de fora – só que ele está do lado de dentro. São essas extraordinárias mulheres que estão por trás da preparação de muitas reuniões, no suporte de grandes executivos. Com delicadeza, elas movimentam o mundo.

E me fizeram pensar no mizuya, a pequena sala que ninguém vê e que fica atrás da sala da cerimônia do chá.

É lá que purificamos os objetos utilizados na cerimônia, preparamos os bules, arrumamos os doces servidos. Há uma luz incrível neste lugar. Eu gosto de chegar cedo, lavar as cerâmicas, criar intimidade com o ambiente. É um dos lugares que eu mais amo estar sem exagero.

Quando agradecemos o chá que tomamos, estamos agradecendo a todo esse preparo.

Eu agradeço às secretárias com quem compartilhei esta manhã, Nancy e equipe de eventos do JP Morgan, por terem me proporcionado este aprendizado.

Comentários

2 comentários em degustação JP Morgan

  1. Ivana Saboya disse:

    Boa tarde prezada Sra. Erika,
    A senhora trabalha para o grupo JP Morgan ou a senhora prestou serviços a esta instituiçao neste evento?

    • admin disse:

      Ivana, tudo bem? Não trabalho para o JP Morgan… O departamento de eventos entrou em contato comigo e criamos uma ação juntos para comemorar o dia das secretárias. Se tiver alguma outra dúvida, me escreva (contato@cerimoniadocha.com.br). Abraços!

Deixa um comentário