chá branco no dia das mães

Descobri que minha mãe gosta de chá branco. Descobri que eu gosto de chá branco.

Eu achava ele um pouco sem graça (por ser suave demais) ou com “gosto de estragado” (não sei qual é a explicação disso). Comecei a achar mais graça quando tive contato com o Pera Fujian, da Talchá, mas a paixão mesmo bateu em um domingo que passei pela The Gourmet Tea e o Daniel nos apresentou o silver needle (“agulha prateada”). Eu e minha mãe, que só íamos dar uma passada na loja para comprar umas lembrancinhas, acabamos nos unindo pelo gosto por um chá com as folhas mais lindas que eu já tinha visto, sutil e silencioso.

Pausa para Dona Rosa: primeiro desconfiada…

Depois curiosa…

Para então se maravilhar.

Eu fiquei tão fã do chá que, quando estive na Tealosophy (o canto sagrado de Inés Berton), em Buenos Aires e soube que eles tinham um chá branco chinês de altíssima qualidade, eu não me contive. Era exatamente o que eu estava procurando: WHITE SILVER NEEDLES! Quando a vendedora abriu a lata, senti uma nuvem de carícias tocando meu rosto – apenas fechei os olhos e mergulhei meus sentidos. Não tive dúvidas de que essa era a latinha escolhida para trazer para casa (mesmo sabendo que o grande dom de Inés é a alquimia dos blends).

É claro que foi o chá do dia das mães!

Todo mundo se deu bem com a escolha… A minha pequena xícara foi preenchida várias vezes (esta ficou bem fraquinha).

Minha mãe se deu ao luxo de deixar o chá no cantinho enquanto lavava a louça do café e até achou que o tinha um “gostinho de arroz”.

Meu pai também teve a sua dose e falou em “gosto de pêra” (ou esta fala era minha?), mas que não achou grande coisa, não.

E eu fiquei alucinada com as folhas dos chá depois da infusão.

Ao abri-las, vemos brotos inteiros e dignos de uma primeira colheita…

Fui pesquisar um pouco sobre White Silver Needles, um grand cru, para contar para vocês.

Seu nome em chinês é YIN ZHEN ou YIN FENG e ele é produzido na província de Fujian. Para esta qualidade de chá, são colhidos apenas os brotos mais novos e macios, cobertos por uma pelúcia aveludada, que parece cabelinho de bebê. Eles são colhidos na primavera durante um curto período de 15 dias, quando a chuva é moderada e a temperatura não é nem muito seca nem muito úmida. Ele colocado em telas de bambus e permanece na sombra durante dois ou três dias para secar e ser oxidado lentamente e de maneira natural. Trata-se de um dos chás menos manuseados.

Recomenda-se sua preparação em 70 graus de temperatura e infusão durante 5 a 8 minutos (eu deixo bem menos, cerca de quatro minutos e fica bem gostosinho).

Comentários

6 comentários em chá branco no dia das mães

  1. Yuri Hayashi disse:

    Erika! Que bom que voltou! Estou em um momento sem tempo também, hehehe, mas é sempre bom te ler por aqui novamente. E beba muito chá branco, é uma preciosidade!
    Beijos!
    Yuri

    • admin disse:

      Yuri… passando a virada sustentável, eu não terei mais desculpa para suas encomendas 😉
      estou amando ver seus cachorrinhos! beijos, Erika

  2. disse:

    Faz tempo que eu não entrava no seu website… Me emocionei com as fotos e vou mostrar pras meninas amanhã (as melhores são as da mamãe com cara de desconfiada e do papai com cara de “não é grande coisa”). Preciso experimentar o “white silver needle” (vou procurar por aqui) 🙂

  3. disse:

    Acabei de mostrar as fotos – muitas gargalhadas (ahahahaha a Bá, ahahahaha o Di). Você precisa entrar no Skype e bater um papo com elas.

  4. kikks disse:

    hahaha, que fofas! quando elas vierem, vou fazer chá para a gente tomar nos bulinhos com elas! (a Ba e o Di também). Deixa passar o evento que nos falamos!

Deixa um comentário