momento único

Acabo de voltar do Sesc Pinheiros onde fui ver o show da Fernanda Takai & Maki Nomiya.

O que um show tem a ver com chá?

Um show qualquer eu não sei. Este show tem. Em 2008, Fernanda e Maki dividiram o palco em BH e eu, alucinada escrevendo a dissertação de mestrado, não fazia nem ideia de que isso tinha acontecido.

Fiquei sabendo do reencontro na semana passada pelo Jojoscope (leitura cultural obrigatória), Jo Takahashi me convidou e, ontem, cruzei a Maki na casa da Lili e do Dudu de uma forma tão inesperada que passou quase batido. A ficha do “momento único” só caiu quando as duas entraram juntas no palco.

Além de ser um encontro raro, havia um algo mais nessa história.

A Fernanda Takai é uma das cantoras pop favoritas da minha mãe (descobri recentemente que a outra é Amy Winehouse). E a Maki Nomiya, vocalista da extinta banda Pizzicato Five, era a diva dos meus 20 anos. Eu comprava tudo quanto era CD do Pizzicato Five, ouvia The Sound of Music en boucle no Discman a caminho da Editora Abril, e era apaixonada pelos figurinos, poses e música (muito além de Twiggy Twiggy).

Hoje descobri um pouco mais sobre Fernanda Takai. Ela é a mais fofa das anfitriãs. Com o público e com Maki. Me fez pensar na cerimônia do chá (quando estamos no caminho, enxergamos o caminho ‘un peu partout’). Fernanda fez todo o preparo: banda, repertório, dancinha, “amaciou” o público com seu carisma kawaii, e trouxe também uma de suas músicas prediletas que é também uma das minhas: Sweet Soul Revue.

Associação óbvia, mas vou correr para preparar um Fleur de Geisha para fechar a noite.

Assisti ao show inteiro sorrindo.

Que a semana continue assim.

Deixa um comentário