CHANOYU

A CERIMÔNIA DO CHÁ TRADICIONAL: CHANOYU

Se você chegou neste site porque estava em busca de mais informações sobre a cerimônia do chá tradicional japonesa, também conhecida como chanoyu, deixo para você um breve resumo da prática, que surgiu no século XVI no Japão e tem como grande referência o mestre  Sen no Rikyu, que introduziu o conceito de ichi-go ichi-e (literalmente “uma única vez, um único encontro”). Mais do que um ritual complexo influenciado pelo zen-budismo, com uma série de passos e movimentos rigorosamente concebidos para serem precisos e um espaço construído de maneira complexa, englobando uma série de elementos, eu prefiro resumir a cerimônia do chá como a arte que celebra um encontro único entre anfitrião e convidado(s) reunidos para degustar um bom chá. A precisão dos gestos e o cuidado na escolha da água, do chá (matcha), dos doces servidos como acompanhamento (wagashi), da decoração etc. compõem um momento especial que jamais será repetido na vida dos participantes.

A cerimônia do chá possui quatro princípios fundamentais: harmonia, respeito, pureza e tranquilidade.

Quem quiser saber um pouco mais sobre o assunto pode ler a  matéria escrita por Gisele Kato, grande amiga e jornalista, para a revista VEJA SP em 2008, ano do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil.

Recomendo também o Livro do Chá, de Kazuko Okakura, escrito no início do século XX e que propõe um mergulho nos princípios estéticos e filosóficos da prática (e que nos ajuda a entender também outros aspectos da cultura japonesa). De uma sensibilidade imensa.

Há ainda o livro Chanoyu Arte e Filosofia, publicado em 1995 pelo Centro de Chado Urasenke do Brasil Há mais de 60 anos, através da família Hayashi, a escola Urasenke, localizada no bairro da Liberdade, difunde a arte além das fronteiras do arquipélago japonês em demonstrações, workshops e cursos.

Para quem quer entrar mais a fundo no pensamendo do 15º descendente de Sen no Rikyu, recomendo o livro Vivência e Sabedoria do Chá, escrito por  Shoshitsu Sen XV (que foi grão-mestre da escola Urasenke) e publicado por T. A. Queiroz. O nome do livro em inglês é bem esclarecedor sobre o seu conteúdo: Tea Life, Tea Mind. O livro consiste em uma série de relatos pessoais, uma forma acessível de contar histórias e aprendizados no caminho do chá. Shoshitsu Sen XV (conhecido pelos alunos da escola como Daisoshu) atualmente está aposentado, mas continua sendo uma fonte de inspiração. Foi ele que, no século 20, iniciou um trabalho de disseminar “a paz em uma xícara de chá” pelo mundo.

CRÉDITO/FOTO: Iweth Kusano / ochakai, Casa de Cultura Japonesa da USP (2011)